As dificuldades na seleção do CFOP nas operações fiscais

Tempo de leitura: 4 minutos

A escolha do CFOP para preencher a NF-e em uma operação de venda de uma mercadoria, é uma decisão bastante complexa, pois não está resumida apenas no código da operação de entrada ou de saída da mercadoria.  É necessário levar em consideração diversos parâmetros e pontos específicos, que envolvem determinadas características como: 

  • Da venda; 
  • Do cliente;
  • Da empresa vendedora;
  • Do produto vendido;
  • Para onde o produto está indo;
  • A destinação do cliente final e outros aspectos.

Levando em consideração as características citadas acima, é necessário conhecer o significado de cada um dos 4 números existentes no CFOP de entrada e saída, sendo que um depende do outro na hora da seleção.

  • O primeiro número:  Diz respeito ao tipo de operação, se será entrada ou saída; 
  • O segundo número:  Define se a mercadoria foi produzida pela sua empresa ou por terceiros;
  • O terceiro número:  Identifica se o produto é uma matéria-prima, se ele será consumido por alguém, ou outro; 
  • O quarto número:  Diz respeito a venda, compra, ou qualquer outra finalidade que ele possa ter.

Os profissionais que são responsáveis por direcionar o CFOP de entrada e saída na documentação necessária de forma correta em cada venda, tem a necessidade de criar diversas parametrizações fiscais, para os diversos CFOPs. Caso a empresa não possua um sistema adequado, esses mesmos profissionais acabam executando todo o trabalho de forma manual.

A Secretaria da Fazenda, com o objetivo de desburocratizar o processo, criou uma tabela padronizada com todas as características dos CFOPs de entrada e saída, que pode ser utilizada em todo o país

Clique AQUI e veja a tabela completa! 

Mesmo com esse benefício, a necessidade de criar diversas parametrizações fiscais no processo de seleção do CFOP pode ser considerada como um problema. Isso porque demanda muito tempo de escolha para cada uma das características, e em consequência pode aumentar a chance de uma venda ser classificada de forma errada, podendo ocorrer a retenção da mercadoria, atrasos na entrega entre outras situações

É muito importante que qualquer empreendedor ou responsável pela emissão de notas fiscais da sua empresa tenha sempre uma ferramenta que auxilie na seleção adequada do CFOP de entrada e saída. 

A solução para que nenhum problema aconteça e o CFOP seja escolhido corretamente em uma operação de venda, é utilizar um sistema de gestão que faça todas as ações de forma automática. O conexos cloud oferece uma ferramenta chamada automação de CFOP, que permite que o setor fiscal da empresa entre com diversos parâmetros de configurações, que envolve as características:

– Do cliente;

– Da empresa;

– Da UF de destino;

– Dos produtos.

O Benefício da automação de CFOP começa  no momento da inclusão da venda no sistema, a partir disso o Conexos consegue identificar qual o CFOP deve ser adicionado ao pedido de venda de forma automática.

Essa automação é primordial também para o uso da ferramenta de vendas externas, onde os representantes que estão fora da empresa lancem os pedidos dos clientes. Com isso a venda entra pronta no sistema, não demandando ajustes fiscais, apenas verificações financeiras e comerciais para a liberação do faturamento

Ou seja, o sistema notifica o usuário a partir de características parametrizadas sobre os produtos e negócios, permitindo uma visão geral do volume de alterações legais que ocorreram e que estão por vir. Contribuindo para a tomada de decisões antecipadas e identificando os possíveis impactos nos negócios.