Carga Simples e Carga Consolidada: Conheça as vantagens

Tempo de leitura: 5 minutos

O gerenciamento logístico é cada vez mais crucial como forma de motivar a fidelidade do cliente. Na logística aduaneira, dois conceitos primordiais são a carga simples e a carga consolidada — e há diferenças importantes entre eles, que devem ser consideradas na hora de escolher um ou outro nos processos de transporte.

Neste post, falamos sobre ambas as possibilidades e suas vantagens. Acompanhe para estar bem informado no momento da decisão. Boa leitura!

Carga simples

Carga é tudo aquilo que pode ser transportado por um veículo. Em geral, as cargas são unitizadas, ou seja, acondicionadas em volumes uniformes em unidades de carga para reduzir os custos de movimentação, bem como o tempo de permanência dos veículos nos locais de embarque e desembarque.

Além disso, a unitização confere maior segurança à carga, já que elimina seu manuseio direto. Conheça, a seguir, as principais modalidades de unitização:

  • pré-lingagem: a carga é colocada em redes especiais de nylon ou corda, para fácil manuseio por guindastes;
  • paletização: são estrados de madeira que servem como suportes para que as cargas sejam fixadas com fitas de poliéster, náilon ou outros. Seus vãos permitem o encaixe dos garfos das empilhadeiras para facilitar o manuseio;
  • conteinerização: consiste na alocação dos volumes na unidade de carga (o contêiner) para mais segurança e facilidade de manuseio e transporte. É a modalidade mais usada no transporte internacional, já que o contêiner permite transferência fácil e ágil entre embarcações (terrestre, marítima ou aérea), sem prejuízo da carga.

Carga consolidada

Consolidar carga significa agrupar vários carregamentos de um ou mais usuários que tenham o mesmo destino e que possuam as mesmas condições de entrega. O volume é amparado por um conhecimento master (que engloba os conhecimentos individuais, ou house, com os respectivos destinatários), enviado pela empresa consolidadora e dirigido à companhia desconsolidadora.

Ou seja, na origem, várias cargas (de um único ou diferentes exportadores) destinadas a um mesmo local são agrupadas e embarcadas com um conhecimento master, acompanhado de tantos conhecimentos house quantos forem os embarques combinados na consolidação.

Na chegada ao destino, a carga é desconsolidada para separar os volumes de acordo com os conhecimentos house. Em seguida, podem ser encaminhados aos respectivos consignatários para que providenciem o despacho aduaneiro.

Marítima

Na prática, não existe consolidação de carga na via marítima. O que ocorre é a unitização de pequenas cargas — ou seja, o ato concreto de colocar diversos volumes em uma unidade maior (em geral, um contêiner).

Isso facilita o manuseio, a transporte e a segurança daqueles volumes, entre outros. E eles seguem se houver quantidade razoável para incluir na unidade de carga.

A consolidação, por sua vez, é abstrata e usada para economizar nos custos de frete. Ela não faz sentido no transporte marítimo, porque o preço do frete independe do peso da carga.

Aérea

No transporte aéreo, a carga é consolidada e, em seguida, unitizada. Enquanto a unitização é um ato concreto, a consolidação é abstrata.

Nessa modalidade de transporte, o preço do frete varia com o peso: até 45kg, de 45kg a 100kg, de 100kg a 300kg, de 300kg a 500kg e a partir de 500kg. Quanto maior o peso, menor o custo por quilo. Ou seja, a consolidação faz o preço valer a pena no transporte aéreo.

Vantagens

A carga consolidada pode diminuir os custos para o cliente, mas nem sempre é a opção mais adequada. Primeiramente, vale considerar a natureza do volume e se a consolidação pode danificá-lo de alguma forma, se a resposta for positiva, talvez seja melhor optar pela carga simples.

Além disso, é importante observar se a consolidação traz vantagens em relação ao espaço físico no modal de transporte. E mais: é essencial comparar os preços e avaliar se ela é financeiramente vantajosa. Se puder, por exemplo, pagar por unidade, a carga simples pode fazer mais sentido ao minimizar danos, prejuízos e extravios.

Busque sempre avaliar as condições de transporte antes de escolher o melhor tipo de carga para o seu produto. E, para se informar mais sobre possíveis erros neste processo, leia nosso blog post sobre o papel do agente de carga!