Blog Conexos
DUIMP

DUIMP: como deve afetar o Mercado em 2021

#O Novo Processo de Importação (NPI) traz para o cotidiano do Comércio Exterior a implementação da DUIMP: documento eletrônico que vai concentrar informações fundamentais para o controle de importações no Brasil.

DUIMP

DUIMP:

  1. como vai afetar de forma prática o mercado em 2021?
  2. como vai afetar o Mercado de Comex, de modo geral?
  3. e seu impacto na vida do profissional de Comex
  4. e seu impacto no trabalho do profissional de COMEX
  5. como vai afetar a economia do Brasil?
  6. como adaptar seu sistema para a implementação da DUIMP?
  7. com um software seguro e robusto, vai dar tudo certo!
DUIMP
DUIMP Imagem de Belinda Cave por Pixabay

A Duimp – Declaração Única de Importação, já vem causando movimentações e especulações no mercado de Comex desde seu anúncio, pelos idos de 2014, quando o Siscomex passava por transformações visando melhorias e, claro, adaptação aos novos cenários e necessidades do Comércio Exterior a partir das inovações tecnológicas e, principalmente, dos sistemas/softwares.

Uma das principais mudanças trazidas pela aproximação da DUIMP se trata, como bem se sabe, do Catálogo de Produtos, um módulo do Portal Único do Siscomex, em que todas as características do produto a ser importado devem ser cadastradas.

Inclusive, o Catálogo de Produtos poderá ser preenchido antes mesmo da DUIMP.

Também será possível fazer de forma automatizada o cadastro do Catálogo de Produtos, através da integração com sistemas seguros e robustos, como o Conexos Cloud, por exemplo.

1. DUIMP: como vai afetar de forma prática o mercado em 2021?

Com a implementação da DUIMP e as transformações que esta tem trazido e ainda vai trazer, uma série de benefícios se seguem, inclusive aqueles oriundos do Catálogo de Produtos.

De forma muito direta e prática, a DUIMP tende a reduzir, em média, de 17 para 15 dias o tempo médio de importação.

A melhoria na qualidade da descrição dos produtos, por exemplo, será grande, bem como toda a organização referente a eles.

A análise e a classificação fiscal serão muito mais simples e eficientes, inclusive com o carregamento de fotos e documentos.

A centralização de todas as informações e o fato de estarem disponíveis a todos os órgãos anuentes é um ponto chave, que sem dúvidas vai tornar os processos mais céleres e confiáveis.

Isto porque, como é via de regra para inovações com o peso e a importância da DUIMP, será fornecido um histórico confiável dos processos.

“O módulo Catálogo de Produtos permite a manutenção de catálogos de produtos e operadores estrangeiros, individualizados por empresa, visando ao reuso das informações nas operações de comércio exterior. É um módulo do Portal Único no qual o importador preenche as informações pertinentes às características do produto, características estas apresentadas mediante atributos de produto. Dessa forma, os importadores apresentam informações precisas e de forma estruturada para cada produto transacionado. O Catálogo de Produtos pode ser usado por empresas não OEA.”

CATÁLOGO DE PRODUTOS – OPERADOR ESTRANGEIRO

É claro que cada empresa e profissional vai ter sua própria experiência e visão acerca das mudanças necessárias, positivas e negativas oriundas da DUIMP, mas com base no que ocorreu com a DU-E, e com as informações que se tem disponíveis sobre a Declaração Única de Importação, é possível arriscar um cenário mais positivo que negativo para o futuro próximo – bem próximo, aliás: junho de 2021!

Mas, com toda certeza, para que o cenário após a implementação da DUIMP seja mais positivo que negativo para a empresa ou para o profissional, é necessário que ambos estejam preparados, com planejamento em dia e um sistema que dê conta do recado.

Aliás, não apenas um sistema que dê conta do recado mas, principalmente, um sistema de comércio exterior que facilite a adaptação à DUIMP.

Após o resultado positivo da criação da DU-E (Declaração Única de Importação) em 2016, formulada, por meio do Portal Único de Comércio Exterior, no SISCOMEX, as transformações no mercado de comércio exterior continuaram – e, aliás, continuarão, mesmo após a DUIMP.

De certo que a transformação digital no comércio exterior acompanha o processo de transformação digital já em curso há cerca de pelo menos 3 décadas – desde o início da popularização da internet comercial e das ciências de dados, e vem se acelerando nos últimos dez anos de forma vertiginosa.

E a implementação da DUIMP, a grosso modo, é oriunda, pode-se dizer, destas transformações.

O desenvolvimento das tecnologias emergentes, como a própria internet, que foi rapidamente da conexão discada para o 3G, depois evoluiu para o 4G, então 4.5G até o momento atual, apogeu do lendário 5G; a nanotecnologia; a tecnologia de sensores; a biotecnologia; a Inteligência Artificial; o Aprendizado de Máquina e ,indubitavelmente, o Big Data, foi criando, ao longo desta última década, um crescente irreversível de transformações sociais, industriais e comerciais.

2. DUIMP: como vai afetar o Mercado de Comex, de modo geral?

A DUIMP 2021 já está em operação desde outubro de 2018, com seu projeto piloto.

A princípio, apenas empresas integrantes da OEA podiam se cadastrar no Portal Único.

As expectativas do Mercado de COMEX com a implementação da DUIMP eram de que em 2019 mesmo já estivesse em vigor e os novos módulos do SISCOMEX tivessem sido entregues.

Contudo, seguiu-se o buzz no mercado e se ampliou o tempo que as empresas teriam para especularem e, principalmente, adaptarem-se.

Durante este período, contudo, os impactos gerados e esperados para o Mercado de Comex, no geral, dizem respeito à transformação do ritmo do setor. 

Com a simplificação dos processos de importação e a adaptação das empresas a eles, a tendência é o desenvolvimento rápido para setor. 

E, neste ponto, não se pode deixar de lembrar da implementação do 5G: com o leilão da Rede 5G chegando ao fim e, tal qual a DUIMP, com a especulação acerca de seus efeitos dando lugar a eles, de fato, o Mercado de Comex tende a sofrer um boom como poucas vezes antes! 

Por outro lado, há também aquela parcela de empresas e profissionais que, ao não se adaptarem, seja num processo mais rápido ou mais lento, serão levadas ao ostracismo e, consequentemente, à erradicação.  

3. DUIMP e seu impacto na vida do profissional de Comex

Embora a DUIMP seja, a priori, um facilitador para o profissional de COMEX, de certo pode ser também uma grande dor de cabeça.

Isto porque, apesar de ter o objetivo de facilitar os trâmites relativos aos processos de Comex, a DUIMP gera uma série de dúvidas muito práticas acerca dos efeitos de sua implementação.

E antes mesmo de identificar quais ações práticas devem ser tomadas para sua chegada, muitos profissionais tem, como primeiro impacto da DUIMP em seu cotidiano, uma certa insegurança e talvez até uma dose de ansiedade.

Ao suscitar tantas mudanças práticas, a expectativa pela implementação da Declaração Única de Importação gera uma série de movimentações no mercado:

  • Reuniões e mais reuniões para conhecer e se preparar para DUIMP;
  • Conversas com especialistas para entender o cenário do mercado;
  • Um tema comum aos diversos ramos do COMEX para levantar dúvidas e buscar respostas em cursos, webinários, conferências…

De modo geral, antes de impactar os orçamentos, planejamentos, sistemas/softwares e produção do mercado de COMEX, a DUIMP impacta no comportamento dos profissionais da área.

Como toda grande mudança, certo?

DUIMP

E, assim, a DUIMP passa a ser tópico frequente a ser abordado, para não dizer O Assunto, no Mercado de Comércio Exterior.

Tema comum, quiçá precípuo, para reuniões e encontros de Comex, a tal da DUIMP passa a fazer parte das conversas no horário de trabalho mas também no horário de almoço, no horário do noticiário, no horário da corrida para desestressar no final do dia…

Torna-se assunto de estudo e adaptação na prática mas também se torna objeto de curiosidade, de interesse.

Portanto, o primeiro impacto que a DUIMP gera no Mercado de Comex é, muito mais que um buzz, uma preparação coletiva para uma mudança coletiva.

O que significa dizer que se você faz parte do Mercado de Importação e Exportação e ainda não ouviu falar da DUIMP, você está fazendo isto errado. 

4. DUIMP e seu impacto no trabalho do profissional de COMEX

Não é de hoje que a Declaração Única de Importação suscita a chegada de uma nova era para a competitividade comercial.

De forma prática, já é há muito sabido que a DUIMP:

  • substituirá a Declaração de Importação (D.I.).
  • substituirá a Declaração Simplificada de Importação (D.S.I.).
  • poderá ser registrada antes que a mercadoria chegue em território nacional.
  • facilitará a obtenção de Licenciamento de Importação (L.I.).
  • Diminuirá o tempo médio de importação.

Com a DUIMP, o registro de documentações e informações terá maior celeridade tanto quanto a nacionalização dos produtos, que também será facilitada.

Consequentemente, um dos principais impactos da DUIMP no dia a dia de trabalho do profissional de COMEX será o aumento da competitividade do mercado de importação.

5. DUIMP: como vai afetar a economia do Brasil?

Dado o impacto que o setor tem sobre o PIB do Brasil, espera-se também que a economia do país, como um todo, melhore em função do maior desenvolvimento do Mercado de Comex.

No trimestre móvel de fevereiro de 2021, a importação apresentou crescimento de 6,9% em comparação ao mesmo período de 2020, segundo dados da FGV.

Apesar do aumento ser atribuído ao crescimento elevado dos bens de capital, em função da importação de plataformas em dezembro de 2020, os últimos dados do Mercado de COMEX apontam para uma certa segurança que o setor confere à economia do país.

O que, de fato, tende a ser influenciado indiretamente pela implementação da DUIMP.

Há ainda uma outra transformação gritante que ajuda a aumentar a ansiedade em torno do funcionamento da DUIMP: ao se obter melhores resultados com processos mais simples e eficientes, tende-se a obter um aproveitamento melhor dos esforços de trabalho e a se eliminar tarefas redundantes.

Outro ponto positivo de transformação do cotidiano de trabalho do profissional de COMEX com a chegada da DUIMP é, indiscutivelmente, a redução da redução da “papelada documental”.

E aqui, como nem tudo são flores, chegamos a um ponto em que os impactos da implementação da Declaração Única de Importação talvez gerem as sementes da ansiedade já mencionada quando o assunto é DUIMP!

Isto porque, na prática, questões muito relevantes permeiam a mente de gestores e demais profissionais da área. 

6. DUIMP: como adaptar seu sistema para a implementação da DUIMP?

DUIMP

Adaptação de seu sistema de gestão para a chegada da DUIMP

Um bom sistema/software é fundamentalmente a espinha dorsal de qualquer negócio hoje em dia.

Haja vista o Conexos Cloud: mais de 20 anos de experiência, pesquisa e desenvolvimento da Conexos, sempre aprimorando nossos robôs e sistema.

O software da Conexos é pensado e criado para ser exatamente o que um software de Comércio Exterior precisa ser: um facilitador para os negócios!

Por isto mesmo, na transição para a era da DUIMP, entendemos que as mudanças são muitas e muito importantes, e para tanto é fundamental uma estrutura robusta e segura.

Inclusive,

qualquer tipo de sistema que tenha acesso e possa manipular dados deve, por sua própria natureza, possuir uma estrutura robusta e segura.

Não é algo simples para uma empresa fornecer seus dados e confiança a um sistema que terá, de fato, tamanha importância em cada centavo ganho ou gasto.

Quando numa situação como esta, em que muitas melhorias estão ao alcance dos olhos mas o caminho até elas é repleto de desafios, a confiança no sistema que sua empresa usa ou vai usar é basilar.

Dessa forma, um evento como o lançamento da DUIMP, de certo, há de gerar muita incerteza em profissionais e empresas do Comex que tanto dependem de sistemas e tão bem conhecem sua importância.

  • Como vai ser quando a DUIMP estiver valendo?
  • Vou precisar alterar meu sistema?
  • Vou precisar de um sistema novo?
  • Quanto esta adaptação vai me custar?
  • Processos já em andamento quando a Declaração Única de Importação entrar em vigor: como lidar com eles?

Num processo de Importação, cada etapa é de suma importância, pois o menor deslize pode gerar consequências irreversíveis, internacionais, milionárias!Por isso mesmo, nada mais normal do que o receio de incorrer em erros no processo de mudança ou adaptação do sistema da empresa para se adaptar à DUIMP.

7. DUIMP: com um software seguro e robusto, vai dar tudo certo!

Desde o seu anúncio até o momento de seu lançamento, empresas e profissionais da área de Comex vem ouvindo muito a seu respeito, tanto no cotidiano das conversas quanto no planejamento dos negócios.

Afinal, adaptação não é, via de regra, um processo que começa e termina do dia para a noite: é preciso, muito mais que tempo, conhecimento e planejamento para uma adaptação segura e sem imprevistos.

E, realmente, neste caso, a melhor solução para profissionais e empresas de Comex que buscam se alinhar com o Mercado é contar com um sistema capaz de gerir todas as transformações que a DUIMP vem trazer.

O Conexos Cloud é cuidado diariamente para ser exatamente isto! 

Nosso cotidiano de trabalho, assim como o cotidiano de nossos clientes e parceiros, são reflexos do uso de um sistema robusto e seguro, que proporciona desenvolvimento seguro e crescimento escalável para os negócios!

Conexos Cloud
Conexos Cloud

mariana.preti@conexos.inf.br

Receba grátis o melhor conteúdo de COMEX!

Uma newsletter intuitiva e completa sobre comércio exterior e logística.

Adicionar Comentário