Blog Conexos

Entenda como o Coronavírus pode afetar o mercado de Comércio Exterior

Voiced by Amazon Polly

O coronavírus vem se tornando um assunto muito popular à medida que sua propagação fica mais evidente. Por isso é importante que de um modo geral fiquemos muito atentos a esse assunto.

Porém, além da saúde, o coronavírus pode estar começando a afetar a economia mundial. 

Um dos efeitos mais preocupantes é o aumento dos preços de produtos importados da China, país onde o vírus se originou. No Brasil, o país asiático ocupa o primeiro lugar na lista de importações, na frente até mesmo dos Estados Unidos.

Entenda melhor como essa epidemia consegue afetar os mercados de importação e exportação:

O maior exportador do mundo

Atualmente a China ocupa o primeiro lugar no ranking de maiores exportadores do planeta, são US$ 2,487 trilhões exportados por ano, seguidos de Estados Unidos e Alemanha.

Dentre os produtos mais exportados pelo país estão: equipamentos de transmissão, unidades de disco digital, peças de máquinas de escritório, circuitos integrados e telefones.

A China é o maior cliente e fornecedor do Brasil. Os produtos mais exportados para o país são a soja, minério de ferro e óleos brutos de petróleo e os mais importados são aparelhos transmissores, receptores e componentes, circuitos eletrônicos, motores geradores e transformadores elétricos.

O surgimento do coronavírus

No final de 2019, a alerta sobre uma doença parecida com a gripe começou a se difundir. A doença é resultado de uma mutação do coronavírus e a cidade de Wuhan, na China, registrou o primeiro caso da doença.

Especialistas suspeitam que o novo coronavírus possa ter surgido com a ingestão de frutos do mar e carne de animais exóticos contaminados pelo vírus, que são vendidos clandestinamente e comumente no país.

A doença se espalha rápido e como os sintomas podem ser facilmente confundidos com outras doenças como a gripe, a confirmação pode ser mais complicada de ser feita e com isso o medo de uma possível epidemia mundial começa a se espalhar tão rápido quando o vírus.

Como o coronavírus já tem afetado a economia do país 

Com o surto da doença no país a China já tem tomado uma série de precauções para evitar ainda mais o alastramento do coronavírus. Apesar de existirem suspeitas da doença em algumas outras cidades ao redor, Wuhan que é o principal foco, e tem sido mantida em quarentena.

O ano-novo chinês, também foi prolongado por conta do doença. O feriado já comumente afeta bastante a economia do país, visto que indústrias, portos, aeroportos e comércio param de funcionar,  com a sua prorrogação estima-se que isso se agrave ainda mais. Algumas cidades decidiram prolongar ainda mais o feriado, até dia 09 de fevereiro.

E o Comércio Internacional, como fica?

Apesar do coronavírus ainda não ter chegado em outros países, as transações internacionais podem começar a ficar comprometidas em pouco tempo.

No Brasil, por exemplo, a exportação de produtos produzidos em escala, cujo valor é definido pela oferta e procura internacional, pode sofrer redução em breve, o que ocasiona a perda de receita e superprodução.

Ressaltada ainda mais depois do fim da guerra comercial entre a China e EUA, já que os chineses poderiam começar a comprar mais dos EUA os produtos que antes importavam do Brasil. O coronavírus, surge como uma das grandes incertezas do cenário econômico em 2020, além das grandes mudanças da relação comercial entre Brasil,  Estados Unidos e China.

Importação do coronavírus, tem como?

Como o maior exportador do mundo, muito tem se discutido de o vírus pode chegar a outros países através das exportações da China. Algumas precauções têm sido tomadas, para evitar que isso possa acontecer. 

No Brasil, a ANVISA (Agência Nacional de Vigilância Sanitária) tem adotado algumas medidas para que a doença não chegue ao país.

Por exemplo, se algum navio ou aeronave identificar alguma suspeita do vírus, a Anvisa determina algumas orientações que devem ser seguidas:

  • O navio não recebe autorização para operar e ninguém pode desembarcar.
  • A Anvisa e a vigilância epidemiológica sobem a bordo para inspecionar a embarcação e avaliar o paciente.
  • Caso a suspeita seja mantida, o passageiro ou tripulante é removido para um hospital de referência.
  • O navio não recebe a Livre Prática (autorização para operar) e a tripulação e os passageiros ficam impedidos de desembarcar.
  • Se o caso for confirmado, a Anvisa e a vigilância epidemiológica fazem uma avaliação sobre o procedimento com a tripulação e os passageiros que ficaram a bordo.

Até o momento, o vírus chegou a 11 países em quatro continentes: Estados Unidos, Canadá, França, Nepal, Coréia do Sul, Japão, Taiwan, Tailândia, Malásia, Singapura e Vietnã, que somam mais de trinta casos. Tóquio anunciou no domingo que detectou um novo caso, o quarto em seu território.

No Brasil ainda não existe nenhum caso confirmado da doença, apenas alguns suspeitos.

Orientações para evitar o contágio do coronavírus:

  • Evitar o contato próximo com pessoas com infecções respiratórias agudas
  • Lavar frequentemente as mãos
  • Usar lenço descartável para higiene nasal
  • Manter ambientes bem ventilados
  • Evitar contato com animais selvagens ou animais doentes em fazendas ou criações

Muito se especula sobre o futuro da doença e se ela pode evoluir para uma epidemia global e ainda qual o impacto disso tudo no mundo. O fato é que, devemos estar bem atentos às novidades a respeito do coronavírus.

E aí, gostou deste artigo? Então se inscreva na newsletter e receba toda sexta-feira novidades do mercado de comércio exterior.

Richard Marques

Receba grátis o melhor conteúdo de COMEX!

Uma newsletter intuitiva e completa sobre comércio exterior e logística.

Adicionar Comentário