Hedge cambial: como se proteger das oscilações do câmbio

Tempo de leitura: 3 minutos

Hedge cambial: quem acompanha o mercado dos investimentos provavelmente já viu o termo em algum momento, muito utilizado no universo das finanças quando se quer falar de proteção.

Com a meta de proteger as operações financeiras expostas às variações de preços, o hedge atua para trazer segurança ao investidor quanto aos riscos de mercado. Então, no post de hoje vamos mostrar como esse mecanismo auxilia na blindagem contra as oscilações do câmbio, e como operá-lo sem comprometer a sua empresa.

Continue lendo e confira!

Como o hedge cambial funciona?

Antes de tudo, é importante saber que o hedge cambial é um tipo de operação financeira voltada para a proteção dos investimentos feitos no exterior. “Hedge”, traduzido do inglês, significa “cerca, limite” — o que representa exatamente a sua função de cercar e limitar os preços de determinado ativo.

Com o hedge cambial, é possível garantir que a variação de preços das moedas estrangeiras não passe por impactos frente aos serviços, como importações e exportações, dívidas no exterior, pagamento de cursos fora do país, entre outras operações.

Imagine, por exemplo, um agricultor que tem uma plantação de tomates para colheita nos três meses seguintes. É extremamente importante que ele leve em consideração a variação do preço do tomate durante esse período, certo?

Começar a produzir sem saber qual será o faturamento é um passo arriscado demais. Porém, se quiser assegurar o recebimento do valor da exportação, esse agricultor pode optar pelo termo de moeda futuro, que dê a ele um pagamento mínimo de R$ 30,00 por saca.

Nesse sentido, o agricultor não está interessado em lucrar com o hedge, mas garantir que a alteração cambial não torne seu negócio inviável. E é assim que funciona o conceito desse tipo de operação, sempre visando proteger a variação da moeda estrangeira.

Como fazer um hedge cambial?

O ponto de partida para quem deseja fazer um hedge cambial é determinar uma meta. Importadores, exportadores e investidores já estão acostumados com essa prática, selecionando as ferramentas certas de acordo com os objetivos definidos.

A seguir, conheça os instrumentos que podem ser utilizados para realizar o hedge cambial:

  • Fundo Cambial: permite que o investidor coloque 80% do seu dinheiro em um fundo;
  • Contrato a Termo de Moeda (NDF): trata-se de uma negociação com o Banco, definindo o valor e o prazo que o exportador ou importador quer fazer o hedge, e um preço para a moeda de fora;
  • Mercado Futuro: contrato negociado na Bolsa, acompanhado em tempo real com ajustes diários;
  • compra e venda: possibilita a compra de algo no futuro pelo preço atual, como se a cotação fosse travada para você.

Onde fazer um hedge cambial?

O hedge cambial pode ser feito na Remessa Online, uma plataforma voltada para ajudar quem deseja fazer a operação com segurança e facilidade.

Os derivativos financeiros mais utilizados são as opções de contratos futuros, compra e venda. Também é possível combinar essas ferramentas para montar operações variadas de hedge.

Enfim, gostou do nosso post? Se ele te ajudou a saber mais sobre o hedge cambial, aproveite e leia também sobre o Fechamento de Cambio e tire todas as suas dúvidas sobre o assunto!