Blog Conexos

Logística reversa: o que é e como aplicar

Com o avanço do aquecimento global, muitas empresas estão adotando processos sustentáveis em seus trâmites. Em algumas ocasiões, isso acarreta em uma economia dos recursos e uma boa imagem perante o seu público, como é o caso da logística reversa.

Sendo uma alternativa sustentável, esse modelo vem sendo adotado pelas empresas e causando resultados positivos nos negócios gerais. Quer conhecer um pouco mais? Então continue a leitura deste artigo!

O que é a logística reversa?

A logística reversa se constitui como o modelo inverso da logística tradicional. Ela analisa todos os aspectos logísticos, não terminando seus processos quando o produto chega no estabelecimento.

Pode-se dizer que é um trâmite que completa o seu ciclo, englobando também a coleta de resíduos recicláveis para a produção de novas embalagens de produtos. Assim, a participação da sociedade se torna essencial para a efetividade dessa modal.

Como funciona o ciclo da logística reversa?

Resultado de imagem para ciclo logistica reversa

Fonte: CNM – Confederação Nacional de Municípios | Comunicação

De acordo com a Política Nacional de Resíduos Sólidos (PNRS), todas as etapas da logística reversa ficam de responsabilidade das empresas de produção ou importadoras. De forma simplificada, a logística reversa passa por etapas completas, incluindo a indústria, distribuidor, varejo, consumidor, coleta e reciclagem.

  1. Indústria: os produtos são produzidos e embalados de forma reciclável com a matéria-prima da etapa 6.
  2. Distribuição: as empresas distribuem os produtos para o comércio, instruindo os varejistas sobre o modelo sustentável de logística.
  3. Varejo e lojas: já nos estabelecimentos, os produtos são vendidos para os consumidores, os orientando do descarte reciclável.
  4. Consumidor: os produtos são utilizados pelos consumidores, que depois os descartam de maneira correta. O descarte pode ser efetuado tanto em centros de coletas, bem como, em alguns casos, na loja em que se comprou o produto.
  5. Coleta e seleção: Com o descarte, os coletores fazem a seleção dos produtos, validando-os para a reciclagem.
  6. Reciclagem: Todo o material coletado é transformado em matéria-prima para novas embalagens e produtos.

Exemplos de modelos aplicáveis de coleta e seleção

Alguns modelos de coleta de produtos recicláveis por empresas se mostram eficientes e práticos, dando benefícios tanto para consumidor quanto para o varejista. Seguem alguns dos dois principais exemplos:

Terceirização com coleta paga

Essa modal é majoritariamente utilizada na coleta de embalagens de alumínio, como latinhas de refrigerante. Mostrando-se muito efetiva, ela serve de fonte de renda para algumas pessoas.

Funciona com uma empresa terceirizada pela empresa produtora que recebe coleta autônoma de alguns indivíduos e dando em troca um valor pelo peso total dos produtos coletados.

Devolução à loja varejista

Funcionando  principalmente com produtos de vidro ou garrafas pets com mais de dois litros, essa modal se mostra vantajosa para todos os setores da logística reversa.

De forma geral, esse modelo sugere que o consumidor devolva a embalagem para a loja varejista ou distribuidor, recebendo de volta o mesmo produto com um preço menor. Assim, também, a loja recebe um desconto quando efetuar outra compra com a empresa produtora.

Isso instiga tanto o consumidor quanto a varejista à participar da logística reversa, além de beneficiar a empresa produtora que economiza em serviços terceirizados.

Coleta seletiva

A coleta seletiva é um dos modelos mais conhecidos no Brasil. Se tratando de uma separação feita pelo consumidor, o processo de coleta pode ser efetuado por uma aliança público-privada, dando mais efetividade à reciclagem.

Os indivíduos da sociedade são os grandes responsáveis pela separação dos rejeitos. E caso você ainda tenha dúvidas de como isso funciona, confira o vídeo a seguir, do Programa Água Brasil, sobre rejeitos recicláveis e logística reversa:

Por que utilizar a logística reversa?

As vantagens desse trâmite logístico podem ser amplas ou individuais, mas todo mundo sai ganhando. Dentre essas vantagens, as principais são as econômicas e as ambientais:

Vantagens econômicas

As empresas produtoras irão economizar com a compra de matéria-prima de seus produtos. Assim, como os produtos recicláveis são selecionados e voltam para a produção, a economia das empresas que aplicam ativamente a logística reversa chegam de 60% a 80% em alguns casos.

Além disso, apostar na sustentabilidade melhora no branding da empresa, fazendo com que ela seja bem vista na sociedade.

Vantagens ambientais

Como já é de conhecimento global, o mundo está passando por sérios problemas ambientais e toda ajuda é válida. Com a logística reversa, os rejeitos descartados são mínimos, produzindo menos lixo tóxico e agredindo menos o meio ambiente.

Desta forma, a empresa de produção, a loja ou varejista e o consumidor, estariam contribuindo para um futuro próspero e uma natureza preservada.

Agora que você já conhece sobre a logística reversa, que tal conhecer um pouco mais sobre nosso sistema de gestão inteligente que automatiza seus processos gerais logísticos? Para isso, solicite uma apresentação completa do sistema!

Receba grátis o melhor conteúdo de COMEX!

Uma newsletter intuitiva e completa sobre comércio exterior e logística.

Adicionar Comentário