Conheça os 10 maiores portos brasileiros e suas características!

Tempo de leitura: 9 minutos

Com o Brasil e todo o mercado internacional em constantes negociações e altos investimentos, sempre se fazem necessárias melhorias na infraestrutura nacional afim do maior aproveitamento e geração de competitividade no cenário do comex. Mas como podemos falar disso sem pensar neles: os portos brasileiros?

Neste artigo você irá conferir todas as características dos principais portos brasileiros e como é a realidade dos mesmos. Além disso, fizemos entrevistas exclusivas com algumas autoridades no assunto sobre alguns desses portos. 

Mas então, vamos lá? Continue a leitura  para conhecer um pouco mais!

Os dados que se seguem são referentes ao período que vai do mês de Janeiro a Junho de 2017. Os dados foram retirados da Secretaria Nacional de Portos referente ao Ministério dos Transportes, Portos e Aviação Civil. Iremos atualizar o artigo com os dados de 2018 em janeiro.

Movimentação dos portos brasileiros no 1º semestre

Os portos brasileiros são divididos em diversas categorias e classificações, sendo públicos ou privados, marítimos ou fluviais, com administração realizada pela união, no caso das Companhias Docas, ou delegada a municípios, estados ou consórcios públicos.

Contabilizando importações e exportações, no período que se estende de janeiro a junho de 2017, a nível nacional foram movimentados 516,16 milhões de toneladas de produtos. No gráfico abaixo você pode conferir os produtos que tiveram maior contribuição para esse número.

Os dez terminais e portos de maior movimentação dessas cargas foram: Terminal Marítimo da Ponta da Madeira – MA, Terminal de Tubarão – ES, Porto de Santos – SP, Porto de Itaguaí – RJ, Terminal Aquaviário de São Sebastião – SP, Terminal da Ilha Guaíba – RJ, Porto de Paranaguá – PR, Terminal de Angra dos Reis – RJ, Porto de Rio Grande – RS, e o Porto de Suape – PE.

Gráfico referente aos produtos que tiveram maior contribuição para a movimentação nacional no primeiro semestre de 2017.
Fonte: WebPortos.

Os 10 maiores portos brasileiros

Para tratarmos desse ranking é preciso que saibamos o conceito de Porto Organizado. Este é um bem público construído e aparelhado para atender a necessidades de navegação, de movimentação de passageiros ou de movimentação e armazenagem de mercadorias, cujo tráfego e operações portuárias estejam sob jurisdição de autoridade portuária.

Dentre todos eles, dez tiveram movimentações muito bem consideradas no primeiro semestre deste ano. Vamos falar um pouco de cada um deles, por ordem de classificação de movimentação

1. Porto de Santos

Administrado pela CODESP, o Porto de Santos foi o líder em movimentação entre os portos organizados, com um total de 50,39 milhões de toneladas movimentadas.

Fizemos uma entrevista exclusiva com o representante da Companhia Docas do Estado de São Paulo sobre as perspectivas previstas para o Porto de Santos. Para conferir basta clicar aqui!

Na entrevista, foram abordados assuntos como a grande preocupação com questões ambientais, o compromisso rigoroso com obras de manutenção, readequação e melhorias para a estrutura do porto, a realidade dos serviços portuários desempenhados e uma visão do que estar por vir nos próximos anos.

2. Porto de Itaguaí

Administrado pela Companhia de Docas do RJ, o Porto de Itaguaí possui um total movimentado de 25,42 milhões de toneladas.

3. Porto de Paranaguá

Localizado no PR, o Porto de Paranaguá movimentou um total de 21,97 milhões de toneladas no período. Administrado pela APPA, possui diversos projetos como Reestruturação do Corredor de exportação e ampliação do pátio de triagem.

4. Porto de Rio Grande

Com movimentação de 12,93 milhões de toneladas, um dos principais portos do RS é administrado pela SUPRG, vinculada à Secretaria de Infraestrutura e Logística do Estado do Rio Grande do Sul.

O diretor superintendente da Superintendência do Porto do Rio Grande aceitou nos contar sobre as principais características desse porto brasileiro tão importante para a indústria têxtil e de produção de grãos. Clique aqui e confira a entrevista!

5. Porto de Suape

Um dos principais portos do Nordeste brasileiro e um dos grandes portos públicos do Brasil, o Porto de Suape movimentou até junho um total de 10,76 milhões de toneladas. Hoje é administrado pela estatal chamada SUAPE – Complexo Industrial Portuário Governador Eraldo. Tem como um dos projetos, o novo terminal de contêineres com investimento previsto de R$ 1 Bilhão de reais. Caso tudo transcorra dentro dos prazos previstos, a licitação do Tecon 2 deve acontecer no primeiro semestre de 2018.

6. Porto do Itaqui

Com um movimentado de 8,94 milhões de toneladas, o Porto de Itaqui é administrado pela Empresa Maranhense de Administração Portuária (Emap). No último dia 11 de agosto bateu um recorde histórico com a movimentação de 5 milhões de toneladas de Soja.

Para o Porto de Itaqui, entrevistamos o diretor de planejamento e desenvolvimento da Emap, Jailson Luz. Ele nos contou sobre os principais desafios encontrados na administração desse porto marítimo. 

Para conferir a entrevista exclusiva, basta acessar aqui!

7. Porto de Vila do Conde

Localizado no Pará, teve uma movimentação de 6,79 milhões de toneladas e sendo administrado pela CDP e se destaca como um dos grandes portos do Norte brasileiro.

8. Porto de São Francisco do Sul

Administrado pela APSFS, o Porto fechou o semestre com aumento de movimentação com alta de 1% se comparado no mesmo período do ano passado. A exportação de soja em grãos, celulose e vergalhões de aço, impulsionaram essa alta. O volume total subiu de cerca de 5,94 milhões de toneladas para 6,03 milhões de acordo com o próprio site do porto.

9. Porto de Santarém

Assim como o de Vila do Conde, o Porto de Santarém é administrado pela CDP e teve um total de 3,66 milhões de toneladas no período. O Porto atualmente de maior movimento de produtos granéis sólidos de origem vegetal e fertilizantes e granéis líquidos derivados de petróleo, além de passageiros e cargas gerais.

10. Porto de Vitória

Administrado pela CODESA, o Porto de Vitória – ES, teve ligeiro aumento nas movimentações gerais, com um acumulado de 3,18 milhões de toneladas, comparado aos 3 milhões no mesmo período do ano passado.

Gráfico referente aos 10 maiores portos organizados do Brasil no 1º semestre de 2017.

Situação atual dos portos brasileiros

Os portos brasileiros são um grande polo que movimenta nossa economia gerando empregos de forma direta ou indireta e recebem diariamente dezenas de navios seja para carga ou descarga de materiais.

Uma análise crítica dos portos marítimos

Temos em nosso país diversos portos, alguns de uso exclusivo de empresas privadas chamados de terminais portuários e outros abertos para receber os mais diversos navios, trazendo diferentes tipos de mercadorias e por sua administração ser pública, são chamados de portos.

Porém mesmo sendo responsável por movimentar uma parte da nossa economia, os portos não recebem a devida atenção. E uma das principais causas da sua ineficiência é, muitas vezes, a capacidade dos calados destes portos que não possuem profundidade suficiente e acabam por não receber navios com maior capacidade de transportes de cargas.

Este problema é um velho conhecido, mas sua resolução vem a passos lentos. Em muitos casos, leva-se décadas para concluir o projeto de dragagem e além da demora na conclusão, durante este processo, muitas vezes, pode-se interditar parcialmente ou totalmente o porto, diminuindo assim a sua produtividade.

Outro fator que também dificulta uma maior produtividade nos portos é a burocracia documental exigida para que a carga e descarga das mercadorias seja concluída. Por esse motivo, é comum ver em cidades portuárias uma grande quantidade de navios aguardando sua vez para efetuar a atracação.

Como a realidade dos portos brasileiros pode ser melhorada?

Identificamos alguns pontos que podem agilizar os processos marítimos em nosso país, melhorando a realidade dos portos brasileiros:

  • Um investimento maior para a melhoria física em nossos portos, seja para a modernização dos equipamentos, como para garantir segurança nas cargas e descargas.
  • Agilidade na apresentação e liberação das mercadorias. Para isso precisamos de uma integração maior entre os sistemas do governo.
  • Melhoria dos meios de transporte que interligam todo o fluxo marítimo, ou seja, integrar de forma eficientes as ferrovias e rodovias aos portos do país.

É importante lembrar que você pode fazer sua parte para minimizar o tempo de espera para embarque e desembarque da sua carga! 

O Conexos Cloud, um sistema integrado com o Siscomex, além de facilitar o acompanhamento da sua carga marítima através de automatizações de informações do Siscomex Carga com o sistema, também agiliza a geração dos documentos obrigatórios para a importação ou exportação da sua mercadoria.

Agora que você já conheceu todos os principais portos brasileiros e como está a situação atual nessa área, que tal se informar mais? Para isso, basta se inscrever na nossa newsletter exclusiva abaixo!