Blog Conexos
Planejamento de importação

Planejamento de Importação: porque essa etapa é tão importante?

Continuando a série de artigos que tratam das particularidades de uma Importação formal, hoje falaremos da etapa do planejamento da Importação.

Então, fique confortável, venha com a gente e desliza a tela para baixo…  

O que é a etapa do planejamento de Importação?

Talvez a etapa que possivelmente definirá o todo, é a espinha dorsal do processo, momento em que a Importação toma forma, tanto no que diz respeito às informações, quanto procedimentos.

Separamos alguns itens importantes a serem observados e levados em consideração na etapa do planejamento de importação. Negar quaisquer um dos fatores relacionados abaixo pode causar o insucesso da sua operação.

Classificação Fiscal

Assim que o produto a ser importado for definido, é fundamental que você saiba a classificação fiscal dele.

É nela, conhecida no Brasil como NCM (Nomenclatura Comum do Mercosul) e lá fora como HS CODE (harmonized system code – código do sistema harmonizado), que nos basearemos para o tratamento administrativo e para o recolhimento de impostos.

O tratamento administrativo indicará quais restrições o produto terá ao ser importado e se há a necessidade de autorização por parte de algum órgão anuente (por exemplo, produtos hospitalares com a ANVISA, alimentos com o MAPA etc…).

Já no que diz respeito aos impostos, cada classificação fiscal possui alíquotas de impostos federais (II, IPI, PIS e COFINS) e estaduais (ICMS) respectivas, para que no momento da nacionalização (registro da Declaração de Importação) sejam repassados à União.

Por esses dois motivos, que são os mais importantes, é essencial que a mercadoria que você planeja importar seja classificada corretamente

Caso haja alguma discrepância entre o classificado e o produto de fato, as multas e penalidades são gravíssimas e podem inviabilizar a sua operação. Aqui você pode consultar a NCM e verificar qual melhor se encaixa no seu produto.

Mas… de quem importar? É o próximo passo.

planejamento de importação

Busca de fornecedores e negociação

Se você é um marinheiro de primeira viagem, essa etapa dentro do planejamento de Importação pode ser um fardo.

Isto porque, uma vez definido o produto e a classificação, você precisará achar no mercado internacional uma empresa confiável, com preço bom e que (preferencialmente) tenha o produto a pronta entrega ou possa lhe entregar o mais rápido possível.

Felizmente, com o avanço da tecnologia a busca por fornecedores tornou-se menos dolorosa, uma vez que motores de busca da internet (o generalista Google e o especialista Alibaba) facilitam o conhecimento e a aproximação entre comprador e vendedor.

Uma vez estabelecido o primeiro contato, busque deixar claro o que você procura. 

Negocie com INCOTERMS para que você pague o frete e seguro aqui, pois além de saber exatamente quanto você está pagando, o suporte à logística internacional será mais fácil contratando o Agente de Carga e a Seguradora nacionais.

Também é necessário encontrar um meio termo quanto à questão do pagamento. Geralmente em primeiros processos, o vendedor deve exigir que o pagamento seja 100% antecipado. Dependendo do produto, tente negociar 30/70 ou 50/50. Assim, você não corre o risco de perder todo o seu dinheiro caso o vendedor esteja de má-fé.

E como saber se o vendedor e o produto são bons? É a próxima fase do planejamento de Importação.

Avaliação do fornecedor e produto

É hora de mais pesquisa.

Para saber sobre o fornecedor você pode conferir a reputação dele em fóruns de sites especializados e (o próprio Alibaba possui essa ferramenta, mas existem outros). 

Também pode ligar na embaixada do país do vendedor no Brasil, certamente lhe ajudarão com informações sobre a empresa, sua saúde financeira e idoneidade.

Ou você pode fazer à moda antiga: visitando.

Quanto ao produto, você pode (especialmente antes de pagar):

  • conferir o produto antes de embarcar;
  • pedir para o exportador enviar uma amostra; ou
  • terceirizar com uma empresa especialista em Qualidade.

Um aviso importante: é imprescindível que embalagens de madeira sejam fumigadas e carimbadas com o IPPC, conforme exigido pelo MAPA.

planej

Levantamento dos custos operacionais

Para os custos operacionais você deve levar em consideração o frete e o seguro internacionais e tudo o que diz respeito a esses dois itens, ainda que sejam apenas custos aduaneiros, como picking, custos EXW, embalagem, manuseio na origem, etc.

Aqui, você deve verificar como fará o estoque da mercadoria, quem irá transportá-la em território nacional, o valor do seguro (sim, o seguro é muito importante em todas as etapas) e como será a distribuição da mercadoria depois que ela chegar em seu armazém/depósito.

Por último, mas não menos importante, é preciso um Despachante Aduaneiro (ou uma trading company/comercial importadora) para realizar a nacionalização. 

É possível fazer por conta própria, mas esteja certo e seguro de que possui o know-how suficiente, você pessoalmente ou um setor próprio da sua empresa.

Levantamento dos custos aduaneiros e tributários

Os custos aduaneiros são aqueles inerentes à Aduana, ou seja, incidentes sobre a pré-nacionalização do produto.

Frete e seguro internacionais, capatazia (o famoso THC – Terminal Handling Charge), além de Marinha Mercante (o AFRMM, que geralmente é 25% do frete + R$ 21,20) e TUS (Taxa de utilização do SISCOMEX).

Também entram aqui os custos e a armazenagem portuária e, caso tenha alguma remoção para um recinto alfandegado (para evitar maiores valores no Porto), tem toda a cadeia de serviços, como DTC (Declaração de Trânsito de Contêiner), possível desova, vistorias do MAPA caso os paletes sejam de madeira, entre outros.

Quanto aos custos tributários, destacam-se os impostos federais e estaduais que você já conhece por conta da classificação fiscal: 

  • Imposto de Importação (II);
  • Imposto sobre Produtos Industrializados (IPI);
  • Programa Integração Social (PIS);
  •  Contribuição para o Financiamento da Seguridade Social (COFINS); além do
  • Imposto sobre Operações relativas à Circulação de Mercadorias e Prestação de Serviços de Transporte Interestadual e Intermunicipal e de Comunicação (ICMS), e suas eventuais vertentes, dependendo do produto e do estado a receber a Importação.
processos de importação

Formalização da compra

É chegada a hora de formalizar a compra internacional.

Você já classificou a mercadoria a ser importada, achou o fornecedor, negociou, avaliou e viu que era uma ótima opção, calculou os custos operacionais, aduaneiros e tributários… falta somente, assinar a proforma invoice.

A formalização da compra se dá no momento que você devolve a proforma assinada ao vendedor/exportador (ou qualquer documento equivalente, como purchase order ou sales contract...).

E agora?

Com o planejamento de Importação feito, a próxima etapa é o pré-embarque. Nos acompanhe para ficar sabendo como realizá-lo de forma certeira e ordenada. Até mais!

Receba grátis o melhor conteúdo de COMEX!

Uma newsletter intuitiva e completa sobre comércio exterior e logística.

Adicionar Comentário