Integração entre sistemas: conheça os tipos mais utilizados

Tempo de leitura: 3 minutos

Todos os dias buscamos, incessantemente, melhorias para nossa empresa, não é? Tocando em pontos que vão desde a organização dos dados, passam pela redução de falhas humanas e chegam na comunicação entre os departamentos internos. Você já dever ter lido os prós e contras que tornam a integração entre sistemas uma solução para tais questões.

Complementando nosso artigo anterior, hoje conheceremos alguns tipos de integração entre sistemas pelos quais você pode optar para aplicar em seu negócio. Ainda preparei para você dois exemplos de aplicação para entender melhor o que pode ganhar com essa melhoria. Vamos lá!

Os tipos de integração entre sistemas

Passando do nível mais simples ao mais complexo, os tipos de integração entre sistemas podem ser feitos de diversas formas e entre softwares de diferentes linguagens. Conheça os quatro mais usados:

  • Comunicação entre dois sistemas através de uma ferramenta intermediadora

Um ponto negativo dessa forma de integração é o custo: além dos dois sistemas, há ainda um terceiro para intermediar a comunicação.

  • Troca de dados eletrônica

Aqui, um dos sistemas exporta os dados e o outro os importa. Pode ser que esse processo não seja automático, mas sempre haverá uma forma de monitoramento das informações.

  • Comunicação banco a banco

Os sistemas compartilham um mesmo banco de dados para troca de informações. Nesse caso, você pode usar ferramentas ETL , do inglês Extract Transform Load (Extração Transformação Carregamento). Essas irão extrair os dados do primeiro sistemas, transforma-los para a regra especifica do negócio e carregar os dados no segundo software, ou até mesmo em um data warehouse (armazém de dados).

  • Integração por meio de API (Application Programming Interface)

Em português, Interface de Programação de Aplicativos. As informações são lançadas, em tempo real, de um sistema para o outro. Dentre os tipos de integração entre sistemas, esse gera um melhor desempenho na comunicação e maior velocidade na troca de informações, além de não ser preciso usar sistemas intermediadores. Porém, um cuidado importante é o planejamento rigoroso de um projeto desta magnitude.

Entenda na prática!

Como exemplo, usarei o CONEXOS-ERP.

Nosso ERP pode ser integrado com um site de follow up, permitindo o acompanhamento de processos de importação e exportação. É possível deixar disponível no site toda a documentação proveniente dos processos de comex de seu cliente, bem como monitorar e informar o canal de parametrização e, ainda, escolher deixar visível ou não essa informação dentro da plataforma. Todas essas possibilidades proveem das configurações pré-parametrizadas do CONEXOS-ERP

Você ainda pode fazer a integração entre o ERP da Conexos com um site de pedidos para representantes externos. Aqui, um representante externo, através de um tablet ou smartphone, pode acessar todas as informações dos produtos disponíveis em estoque, exemplo são valores e imagens, além de cadastrar um novo prospect ou pedido. Mas é a equipe que faz uso do ERP que realiza a liberação dessas informações.

Quer entender mais sobre o assunto? Não deixe de ler nossos outros artigos:

Não gostamos de lotar sua caixa de entrada.